Home Office para Advogados

Home Office para Advogados

Bem, este tema nunca esteve tão em alta! No momento em que redijo este texto, o mundo uma vive uma pandemia, causada por um vírus, identificado no final de 2019, na cidade de Wuhan, na China, que provoca uma infecção respiratória tão grave quanto a pneumonia.

Por isso, achei relevante retomar os textos aqui no blog do Jurídico em Pauta, com esta temática: Home Office para Advogados.

Então, vamos aos trabalhos…

A verdade é que, muitos antes desta pandemia, que nos obrigou a trabalhar de casa e reinventar todas as formas de exercer a advocacia, muitos advogados já não possuíam condições de investir no seu espaço de trabalho externo, sobretudo, aqueles que em início de carreira.

Então, a primeira pergunta a ser respondida é: É possível um advogado atuar em home office 100%?

Sim! Mas, para isso, é preciso montar uma esturra mínima e, ao longo desse texto, vou fazer as considerações relevantes sobre esse tema.

A primeira coisa que deve fazer é elencar quais são as motivações que estão levando a trabalhar de home office, se é a necessidade, por conta da falta de recursos financeiro ou, se é uma motivação pessoal, por exemplo, estar mais em casa e mais perto da família.

Entender a motivação do que fazemos, faz muito sentido para que possamos gerar estar convictos do que queremos e possamos pensar em formas de sermos bem-sucedidos na formatação eleita.

A segunda reflexão consiste em avaliar se o seu modelo de advocacia exige ter uma estrutura física que atenda ao seu nicho de atuação.

Se a resposta for não, mas, sugiro contratar um escritório virtual para reuniões e indicação do seu domicílio profissional e exercer rotineiras de casa.

Se a resposta for sim, mas, ainda não possui recursos suficientes, você pode adotar a mesma alternativa acima, no entanto, se ter uma sede física é imprescindível, você pode definir isso como meta e ir poupando para colocar esse projeto para acontecer. No meu Programa de Mentoria eu os ensino a definir melhor os objetivos e metas profissionais.

Existem muitas conotações positivas que se pode dar esta modalidade de trabalho, sendo elas:

• Menos custo fico;
• Maior rentabilidade nos contratos;
• Mais flexibilidade e autonomia profissional;
• Menos transito;
• Possibilidade de trabalhar perto da família e filhos;
Mas, para esta formatação dar certo, é preciso disciplina e organização!

Por isso, sugiro que:

• Ajuste sua rotina pessoal a profissional, para que possa dedicar tempo a cada uma das coisas, sem que uma interfira na outra, de modo a comprometer;
• Busque ter um espaço seu, destinado a execução das suas atividades profissionais, com o recurso mínimo que precisa para executar suas tarefas diárias;
• Evite o desleixo, busque estar com uma vestimenta de acordo com que vai trabalhar, pode ser mais confortável? Sim! Mas, acredite, pijama não é a melhor opção, nem de longe!
Lembre-se, outra questão muito importante é estabelecer uma presença digital estratégica, que mostre o seu profissionalismo e capacitação constante na sua área de atuação, visando com isso, prospectar e fidelizar clientes.
Espero que tenha gostado do texto e deixa nos comentários o que achou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *